terça-feira, fevereiro 24, 2009

Carnaval, onde?

Nós temos um casal de amigos que tem uma casa na praia, e eles vivem nos convidando pra ir pra lá. Da última vez, o rapaz fez o Rogério prometer que a gente iria pra lá agora no carnaval, mas como nosso carro não anda muito confiável pra pegar estrada, achamos melhor não ir. E quer saber? Dei graças ao céus por não precisar sair de casa.

Sim, sim, viajar e passear é bom demais, mas também é muito bom poder passar uns dias em casa, só na sussegância. Passei esses quatro dias só saindo de casa para o estritamente necessário, como comprar comida, passear com a Pittybulzinha e ir num churrasquinho na casa da minha cunhada (outra) aqui na rua.

E aproveitei pra visitar um cômodo quase que esquecido aqui dentro de casa, a cozinha. Não que eu não goste de cozinhar, não é isso, mas pra isso eu gosto de ter tempo. Esse negócio de levantar as cinco e meia da matina, dar uma tapa na casa, depois passar o dia inteiro trabalhando, sair do trabalho e ir pra academia e quando voltar morta de cansada ainda ter que ir pra cozinha preparar uma comida gostosinha, definitivante não é pra mim. Faço isso com o maior prazer, mas se tenho tempo pra pensar no que preparar, procurar receitas, fuçar meus livros em busca de algo diferente, etc, e nesse fim-de-semana me deliciei fazendo isso.

Não vi absolutamente nada de carnaval e nem de Oscar. O que sei sobre ambos, foi lendo aqui na internet. Mas aluguei alguns filmes que queria muito assistir e dentre eles o 84 Charing Cross Road, que recebeu o nome nada-a-ver aqui de Nunca te vi, Sempre te amei. Embora o filme seja recheado de diálagos, já que fala sobre a troca de cartas entre uma escritora americana, com um funcionário de uma livraria especializada em livros antigos em Londres, a história é deliciosa e nem um pouco cansativa. É impossível não associar a história do filme, com muitas das nossas amizandes surgidas através de interesses comuns, aqui na internet. O outro que aluguei mas nem consegui ver inteiro foi o Paris, te amo . Já tinha ouvido falar que o filme era meio chatinho, mas como o aluguei em formato blue-ray, achei que valeria a pena pelo menos ver a cidade luz em alta definição. Mas nem isso salvou o filme, pelo menos pra mim ...

E por último, porem não menos importante, minha Pittybulzinha - perceberam o minha? :), já está apaixonada pelo Vaquinha, só não consegui ainda colocá-la pra dormir junto com ele, mas espero que isso seja só uma questão de um pouco mais de tempo... Que São Francisco de Assis, me ouça :)

E obrigada a todos vocês pelas dicas e palavras de incentivo :)

3 comentários:

Isabela disse...

Boa sorte com a Pitty!
Ela é muito bonita e merece toda a atenção do mundo que a sua cunhada não pode dar! E espero que a dita cuja tenha aprendido a lição: que cachorro de verdade é bem diferente daquele de pelúcia, da infância!

Edelize disse...

E aqui não tem carnaval, buá, buá... Nem tanto pela festa, mas sinto uma falta dos dias de folga. Gostava da folia, mas preferia ir à praia, ou ficar em casa fazendo nada.

Eu adorei Paris, te amo, mas eu sou fã de filmes que todos consideram lentos, chatos, sem graça... tenho um gosto por filmes que é meio esquisito, hahaha!

E fique com a pittybulzinha, com certeza em pouco tempo ela estará domada. Beijocas

Adriana Pueblo disse...

Fiz o mesmo minha amiga, alias, só fui no hopihari porque é uma época vazia, nao peguei nenhuma fila, foi maravilhoso!Viajar no carnaval ta muito dificil...