domingo, dezembro 30, 2007

Feliz Ano Novo

O meu ano novo já está garantido.
Espero que o de vocês também :0)

Feliz 2008!

quinta-feira, dezembro 27, 2007


Essa noite eu sonhei que descia a mão na cara de duas sirigaitas e descobri uma coisa: Meu Deus do Céu como é bom bater nos outros! Nem que seja só em sonho ...

domingo, dezembro 23, 2007

quinta-feira, dezembro 20, 2007

Cuspindo Marimbondo

Ontem eu saí do trabalho soltando fogo pelas ventas!

Pra encurtar a história. Eu e uns amigos ajudamos com uma certa frequência um lar que abriga crianças que são retiradas das famílias por maus tratos, pobreza, etc e tal, e quando chega o Natal nós procuramos padrinhos para fazer as famosas sacolinhas com roupa e brinquedo para essas crianças.

Eu sempre faço um trabalho pra conseguir sacolinhas para todas elas, porque acho frustrante demais conseguir para a maioria, mas no dia da festa não poder entregar pessoalmente a elas por que está faltando uma, já que qualquer serumano de bom senso entende que eu não posso levar presentes num lugar onde tem 30 crianças e entregar só pra 29.

Bom, a festa era hoje e o prazo que eu tinha dado para entrega das sacolinhas era até ontem. No começo da semana, apesar de estar entupida de trabalho, ainda parei pra mandar email a todas as pessoas envolvidas lembrando-as que o prazo de entrega dos presentes era na 6ª feira, já que fazia mais de dois meses que essa lista havia passado e muita gente poderia até já ter esquecido.

Bom, ontem quando vou recolher as benditas, uma fulana que pegou nada mais nada menos que 4 crianças, me disse com a maior cara lavada que não tinha tido tempo de comprar as mesmas e que na segunda-feira ela iria cedo comprar e me trazia. Claro que fiquei perplexa na hora, ainda mais se tratando de quem era que estava me dizendo aquilo - que nem vem ao caso aqui - mas com toda elegância e diplomacia que Deus me deu, ainda tentei argumentar com ela que "a falta de tempo dela" me causaria um problema enorme, justamente pelo fato de eu não poder dar presentes para uns e não dar para outros, então sugeri que ela fosse comprar hoje cedo e que levasse na casa antes do horário da festa. Ela me respondeu que ainda não sabia se ia ter tempo, que as lojas estariam muito cheias hoje e que era pra eu ligar hoje cedo pra saber se ela ia ou não ia comprar.

Eu até anotei o celular dela, mas hoje decidi que não iria ligar. Eu acho que ninguem é obrigado a fazer nada nesse sentido. Faz quem pode, faz quem quer, mas por favor, não venha me dizer que não teve tempo. Se não fez é porque não tem comprometimento com o negócio, isso sim.

Por outro lado, apareceram várias pessoas, com condições financeiras bem inferior do que essa fulana, se propondo a me ajudar a comprar o presente das crianças faltantes. No final, reuni novamente meus amigos e com a ajuda de um e de outro, conseguimos comprar os que estavam faltando e levar presente para todas elas.

No final deu tudo certo, mas eu ainda estou entalada com essa história na garganta. Na segunda-feira, quando essa lambisgóia aparecer com as sacolinhas dela, vou mandar ela enfiar vocês sabem onde e desejar Feliz Natal!
Eu acredito cegamente que a humanidade já teria dizimado com sua própria raça se não fosse a existência do plástico bolha ...

Plof!

quarta-feira, dezembro 19, 2007

16 anos de casada

Minha mão e um pedacinho da minha vida ;)

sábado, dezembro 15, 2007

Museu de História Natural

Bom vamos lá. O Rogério passou 20 dias trabalhando em NY então semana passada fui lá dar uma passeadinha. Cheguei na 6ª feira de manhã e voltei no domingo a noite. Afinal, tô de emprego novo e meu chefe ainda foi super generoso em me deixar faltar dois dias.

Mas foi tempo suficiente pra passar frio, ver uns floquinhos de neve caindo no Times Square, comprar muamba e ficar três dias sem arrumar cama, lavar louça e tomar banho ( mentirinha, banho eu tomei sim hihihi).

Mas honestamente, achei que essa é uma época horrível de se viajar pra lá. As lojas e as ruas estavam lotadas e eu simplesmente detesto lugares lotados, mesmo que esse lugar seja NY. Chegar perto daquela famosa árvore de natal do Rockefeller Center era uma tarefa quase impossível. Tirei essa foto com zoom e mesmo assim ela ainda está bem longe.


Só fomos pra Manhattan na sexta e no sábado ( fiquei num hotel bem perto do aeroporto) e no domingo resolvemos ir pro Queens. O shopping estava super vazio e tem absolutamente todas as lojas e muitos dos restaurantes que tem em Manhattan e se duvidar ainda é bem mais barato. É a segunda vez que vou pra lá e confesso que tô ficando fã do Queens :)

Olhem pra essa foto e respondam rápido: 25 de Março ou 5ª Avenida?


Mas eu sei que todo mundo aqui está mesmo é curioso pra saber quem é o leitor anônimo do meu blog que eu encontrei por lá. A verdade é que estava caminhando bela e faceira por aquelas ruas chicosas quando fui interpelada por um sujeito muito risonho e simpático querendo saber se era eu mesma, a dona daquele blog magistral chamado Namastê que estava na frente dele. Claro que modesta e brejeira como eu sou, fiquei morta de vergonha, e ele vendo meu total constangimento só pediu que eu desse um autógrafo e tirasse essa foto com ele. Claro que atendi ao seu gentil pedido, mas quando fui embora fiquei com uma impressão danada de que o conheço de alguma lugar, só não sei de onde ainda ...


terça-feira, dezembro 11, 2007

Só pra avisar que voltei, mas que não tive tempo de atualizar isso aqui. Não se esqueçam que rico que é rico só fica o fim-de-semana :)

Depois volto pra contar mais, inclusive sobre o leitor do meu blog que encontrei por lá, tirei fotos, e dei até autógrafo. Essa vida de gente fina ainda me mata :)

Té mais

quinta-feira, dezembro 06, 2007

Eu ando exausta dessa minha vida de fazer compras na Daslu, assistir corridas de cavalo no Jockey Club, almoçar no Fasano, jantar no Terraço Itália ver apresentações de música erudita todas as segundas a noite no Teatro Municipal e ainda fazer tudo isso me deslocando de helicóptero pela cidade.

Então pra relaxar um pouco vou passar o fim de semana em Nuva Iorqui :)

sábado, dezembro 01, 2007

Essa semana vi uma palestra com a Fernanda Young e ao contrário do que já ouvi por aí, eu a achei simpaticíssima. Ela disse que detesta essas listas de dicas que a gente vê por aí como Dez passos para seduzir seu homem, Dez dicas infalíveis para se vestir bem... tudo isso fica parecendo que a gente não é capaz de fazer nada sozinha sem usar as tais dicas. E além do mais dica a gente pede ou ouve de um amigo, não de um estranho. De certa forma eu até concordo com ela, mas essas dicas aqui estão infalíveis :

DEZ DICAS PARA A FESTA DE CONFRATERNIZAÇÃO DA EMPRESA

1) Não vá.

2) Resolveu encarar? Lembre-se: você tem todo o direito de enfiar os dois pés na jaca, beber até virar uma bailarina russa e vomitar aos litros. Mas, na frente do seu chefe e do dono da empresa, não pega bem.

3) Você não vai conquistar a estagiária ensopado de suor, pendurado no lustre e mostrando a bunda.

4) Com 'mé' de graça, a bebedeira não tem limite. Mas seu fígado tem.

5) Não tente se vingar do big boss nesse momento de confraternização - dando uma rasteira no sujeito enquanto ele dança enlouquecido na pista, por exemplo. Sempre há testemunhas.

6) O mesmo vale para quem se aproveita da ausência do cônjuge e resolve mudar de cardápio: isso nunca ficará apenas entre vocês dois, três, quatro...

7) Não é todo mundo que bebe. E são os sóbrios que contarão para a empresa inteira os micos que você pagou - principalmente aqueles dos quais você não se lembra mais e, por isso, não pode contestá-los.

8) Não encha a cara só para ter coragem de encarar a pista. Seus neurônios mergulhados em álcool e embalados pelo 'tutsi-tutsi' não te transformarão num Fred Astaire, mas no próprio Exu Caveira.

9) Não se iluda: você não vai ganhar uma promoção oferecendo seu ombro para o chefe vomitar em cima.

10) Se você não perde uma festa da firma, se prepara o ano inteiro para ir - compra roupa nova, ensaia passinhos - e não entende quem foge do evento como o Renan do Senado, é bom reavaliar o seu conceito de lazer. Ou procurar tratamento.

fonte: O Estadão




segunda-feira, novembro 26, 2007




Ontem eu assisti a essa comédia deliciosa bem água com açúcar, mas não é do filme em si que quero falar, mas sim de uma idéia genial que eu vi nele.

Bom, no filme duas moças de países diferentes resolvem trocar de casa e tirar férias, por duas semanas, uma na casa da outra.

Eu não sei se isso existe mesmo, ou se é pura invenção de Hollywood, mas confesso que adorei a idéia e já estou pensando seriamente como colocá-la em prática. Afinal, deve existir uma legião de pessoas procurando por um lugar exótico e eletrizante para passar férias e que adorariam fazer isso comigo e passar uns dias aqui, na periferia de São Paulo. E de bônus ainda teriam a companhia de três adoráveis vira-latas.

Então se tiver alguém aqui que leia meu blog e more na Polinésia Francesa, Ibiza ou no Caribe, pode me escrever fazendo tal proposta. Prometo que vou analisá-la com carinho :)

terça-feira, novembro 20, 2007



Eu (ainda) não vi o filme Ratatouille mas zanzando no site da Folha descobri essa animação que faz parte dos extras do DVD do filme. Se você é como eu e tem uma relação do amor e ódio com os ratos, também vai adorar esse video. E vale lembrar que o próximo ano, é o Ano do Rato no horóscopo chinês.

Eu já vi várias vezes e achei super divertido. Assista também e descubra porque os ratos são legais :)

domingo, novembro 18, 2007




Quem é meu leitor há mais tempo, sabe que um dos meus grandes sonhos é ser cantora. Num passado não muito distante, eu já tive uma tentativa frustrada com a Zana de formar uma dupla, mas como todos sabem, foi um total fracasso. E que ninguém nos ouça, mas a culpa foi totalmente dela que não manja nada de música! Quase que minha promissora carreira foi pro vinagre, por causa dela...

Mas como sou brasileira e não desisto nunca, estou de volta com um novo par e ando arrasando pelos karaokês da cidade. Agora ninguém mais me segura :)

sexta-feira, novembro 16, 2007

Todos os anos, quando vai chegando à época do 13º a gente já começa a fazer planos de como e onde gastar o dinheiro. Mas às vezes, mesmo depois de muito estudo e planejamento, o investimento acaba saindo pela culatra. E isso já aconteceu com a gente uma vez...

Há alguns anos atrás a gente queria trocar de carro. Fomos numa concessionária e chegando lá a gente se encantou com o primeiro carro que viu na frente. Era um Tempra preto, lindo super bem cuidado. Claro que o carro custava muito mais caro do que a gente podia pagar, mas juntamos nosso 13º, férias, mais dinheiro emprestado e demos entrada no carro. É, só a entrada, porque o saldo foi financiado em sei lá quantas vezes que graças à taxa dos juros da época, se transformou no triplo do preço. Mas a gente estava tão entusiasmado com o carro que falamos “Dane-se quanto vai custar nos queremos é andar de Tempra preto.”

Os primeiros dias foram uma maravilha. Sim, os primeiros dias, porque no primeiro mês ele já nos largou na mão no estacionamento do shopping. Dessa vez foi à bomba d’água; No segundo mês foi à bomba de gasolina e daí pra frente não parou mais. A gente descobriu em curto prazo que tinha comprado uma bomba! Pra vocês terem uma idéia, no período de 8 meses o carro fundiu o motor por duas vezes. Isso mesmo, foram duas vezes!

Eram inacreditáveis as coisas que aconteciam com ele! O carro era lindo, mas não valia nada! A nossa vida financeira regrediu uns cinco anos por conta desses oito meses que a gente ficou com aquele carro. O cara que arrumou o motor pela segunda vez disse pro Rogério quando ele foi buscar o carro na oficina:

- Vou te dar um conselho. Entra na primeira loja que você encontrar no caminho e vende esse carro!

E quem é que queria comprar aquela porcaria? Parecia que todo mundo já sabia da fama do nosso Tempra Preto. Claro que depois de muito custo, reza brava e novena pra Santo Expedito, nós finalmente conseguimos se livrar daquela tralha.

Hoje, quando alguém no transito dirigindo um Tempra fecha o Rogério, e ele tem o ímpeto de começar a xingar o cara eu logo digo: Deixa o cara coitado! Ele já tem um Tempra. O que você pode desejar de pior na vida de alguém que tem um Tempra?

Mas até que nós não fomos tão ruins assim. Para o próximo comprador nós deixamos um envelope de doril no porta luvas. Na hora ele não deve ter entendido nada, mas depois...

terça-feira, novembro 13, 2007

Existe coisa mais linda do que isso??


Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

;)

domingo, novembro 11, 2007


Ontem cedo, tomando meu café da manhã na padoca da Liberdade eu presenciei essa mulherada fazendo uma espécie de Clube do Livro, mas o que me chamou a atenção foi o tipo de livro do qual elas conversavam efusivamente: Romances da Coleção Sabrina.

Até então eu acreditava que a Sabrina e suas amigas já tivessem sido dizimadas por completo da face da terra, mas pra minha total surpresa os livros ainda existem e existe também uma legião de fãs desse tipo de romance.

Em uma das mesas tinha ainda uma pilha enorme de livros e elas pareciam super entusiasmadas com o troca-troca com a Sabrina (oops! ficou estranho isso aqui!).

Eu tenho lá as minhas dúvidas quanto ao gosto literário desses moças mas com certeza elas tiveram bom gosto em escolher o local para o tal encontro :)

domingo, novembro 04, 2007


Salaminho de chocolate com sorvete de creme e calda de morango.

Eu comi em um restaurante, mas pra quem quiser se aventurar, a receita está aqui.

Salaminho de Chocolate
Recheio
500g de biscoito tipo Maria
1 lata de leite condensado
2 xícaras de chocolate em pó
2 colheres de sopa de conhaque
1 e 1/2 xícara de manteiga derretida1 xícara de chá de amêndoas inteiras
2/3 de xícara de chá de uvas passas pretas sem caroço
2/3 xícara de nozes picadas

Cobertura
1/2 xícara de chá chocolate em pó
2/3 de xícara de chá de manteiga

Em um recipiente moa os biscoitos em pedaços grandes. Junte o leite condensado, o chocolate e o conhaque. Misture bem. Coloque a manteiga derretida e mexa com uma colher de pau. Junte as amêndoas e as passas. Faça bolas grandes com a massa e aperte bem. Forre uma superfície com filme plástico, modele a massa no formato de uma peça de salame, feche com o filme plástico e leve ao freezer até que endureça. Faça a cobertura misturando a manteiga e chocolate até formar uma pasta lisa. Retire o rolo do freezer, passe a cobertura de chocolate, espalhe bem. Está pronto o seu salaminho de chocolate .

quinta-feira, novembro 01, 2007

Muito obrigada a todos vocês pelos abraços, pelo conforto e pelas palavras de carinho.

Como não dá pra dormir até o ano que vem, o jeito é continuar levando a vida de maneira normal. Acho que o segredo é procurar pensar nas coisas que não tem a menor importância, mas que em momentos assim são importantes pra caramba.

Ontem mesmo já voltei a trabalhar e no final da tarde precisei fazer uma ligação para um cliente. A pessoa que atendeu o telefone não era quem eu queria falar, e depois que me identifiquei eu o ouvi berrando para a pessoa que eu estava procurando:

- Ôôô Antônio! Tem uma mocréia aqui no telefone chamada Marcia querendo falar com você.

Por incrível que pareça eu achei isso super engraçado. Tive que tampar o bocal do telefone de tanto que eu dava risada. No mínimo ele quis fazer gracinha com o colega de trabalho e nem imagina que eu o ouvi.

Eles são de uma construtora e vão construir um shopping por aqui. Pra mim nem interessa como esse shopping vai chamar porque de agora em diante o nome dele pra mim é o Shopping das Mocréias.

segunda-feira, outubro 29, 2007

Hoje o meu pai morreu.
E agora a coisa que eu mais queria no mundo e deitar, dormir e só acordar no ano que vem.

domingo, outubro 28, 2007


What Kind of Blogger Are You?
Para fazer o seu, clique aqui

sábado, outubro 27, 2007

A Denise reinventou a brincadeira de se tirar uma foto da nossa bolsa do dia-a-dia, com todos os badulaques dentro e postar no blog. Eu resolvi colocar a minha aqui também por quê descobri que a bolsa que eu estou usando atualmente é a mesma que usava na época da outra brincadeira, embora eu tenha trocado de bolsa algumas vezes durante esse tempo.

Mas também fiz duas constatações interessantes. A primeira é que isso prova por A + B que ao contrário do que pensam sobre minha pobre pessoa, eu não sou uma compradora compulsiva de bolsas e segundo, é que continuo tão organizada na arrumação dela quanto há dois anos atrás :)

A bolsa da primeira brincadeira


A bolsa de agora

A bolsa é uma Santa Marinella que comprei numa liquidação e se comparado aos preços da Santa Marinella de hoje foi realmente uma bagatela. E por conta disso essa é a filha única de mãe solteira porque hoje não estou disposta a pagar por uma bolsa mais do que meu pai ganha de aposentadoria por mês, por exemplo.

Apesar de ter mudado as embalagens, as coisas que carrego nela são basicamente as mesmas:

- Uma carteira que agora é preta ( a outra marrom ainda tenho, mas é muito grande por isso troquei por essa) com documentos e cartões.

- A mesma agendinha preta que hoje serve muito mais pra organizar os papéis soltos dentro dela do que como agenda telefônica propriamente dita;

- A necessaire também troquei por essa verdinha que comprei em Sidney no ano passado e é cheia de divisões cabendo um bando de coisas como batom, remédios e meu inseparável fio dental ( esse sim, não saio de casa sem ele!)

- Óculos de sol , que também troquei. Faltou meu óculos de grau que na hora que tirei a foto, devia estar em algum lugar aqui de casa.

- E na foto de agora ainda apacem um celular, meu Ipod shuffle (que naquela época eu ainda não tinha), lenço de papel, pastilhas, cartão de memória da câmera, e a caixinha da Hello Kitty que é grafite para lapiseira (coloquei na bolsa pra levar para o escritório, mas esqueci de tirar), um porta notas também da Santa Marinella ( esse foi presente) onde carrego um dinheirinho e as moedas e duas cortesias vencidas para assisitr o Vigarista do Ano que já foram para o lixo.

E agora o granfinalle. Uma foto com tudo arrumadinho dentro


Mas agora dando uma segunda olhadela nas fotos eu descobri que só não troquei de bolsa, por quê de resto, troquei tudo.

É, vai ver meu vício de comprar não esteja tão curado assim :)

quarta-feira, outubro 24, 2007

Meu amigo me contou que uma vez foi num leilão de cavalos de raça. Ele não entende nada de cavalos, mas como o lema dele é de graça, até ônibus errado, aceitou o convite.

Quando chegou lá, ele teve certeza que tinha feito um bom negócio, afinal o wisky era á vontade e segundo ele, do melhor. Copo vai copo vem, começou o leilão. Lá no meio da noite ele viu um cavalo lindo em cima do palco e ouviu o leiloeiro anuncia-lo por duzentos e cinquenta reais. Ele achou aquele cavalo super barato e envolvido por toda aquela energia de quem dá mais? e claro, com o nivel de alcool acima do aceitável no sangue começou a agitar os braços na mesa e berrar: eu compro! eu compro!

Tarde demais. Quando viu já tinha comprado o cavalo. E o pior! Os outros caras da mesa disseram que era dez pagamentos de duzentos e cinquenta reais.

Ele ficou desesperado, porque o leiloeiro perguntava quem dá mais? quem dá mais? e nada de alguem cobrir o lance dele. Nessa altura, o efeito do alcool já havia literalmente evaporado do seu sangue, e já conformado que teria que ficar com o cavalo, começou a traçar um plano de como levaria o bicho pra casa.

No carro até que não teria problema, porque ele podia amarrar o cavalo no rack que ficava no teto do seu Fiat 147, mas ele não sabia como faria pra subir onze andares no elevador do prédio onde morava junto com o cavalo.

Mas no último minuto, um sujeito mais louco e provavelmente mais bêbado que ele respondeu aos apelos de quem dá mais e livrou a cara dele. Ufa!



Todos os dias quando vou trabalhar, eu passo pelo ponto de taxi e o taxista lá sempre me diz:

- Bom dia moça bonita.

Não tive dúvidas. Contei pro meu marido, e ele disse:

- Ahh é? Vou lá quebrar a cara dele!

E não é que ele já está treinando?

sábado, outubro 20, 2007

Quem é meu leitor há mais tempo já conhece algumas das minhas excentricidades como, por exemplo: limpar banheiros de avião (principalmente em viagens longas); Nunca, em hipótese alguma, eu vou dormir com meu cobertor de sapinho (Keropi) de ponta cabeça (eu tenho a nítida sensação que eles vão ficar tontos); e claro, cortar meu cabelo no salão chumbrega aqui perto de casa chamado Doni boca-de-porco.

Mas o salão do Doni boca-de-porco mudou e não é mais o mesmo. Hoje eu fui lá cortar meu cabelo e agora está todo modernoso (bom, ele pelo menos deve acreditar nisso) e tem até um novo nome: Doni Hair.

Mas eu vou te falar um negócio viu? aquilo pra mim poderia chamar Doni Hell!

Pra começar a cor predominante das paredes, cortinas e diversos acessórios é roxa. Não, não é lilás não, é roxa mesmo, igual aquele forro que tem no caixão. Os funcionários dele são todos perdidinhos e por mais que eu dissesse “eu só vou cortar o cabelo” sempre vinha um me dizer “a manicure já vem te atender”.

E a concentração de mulher feia que tem lá por metro quadrado é literalmente assustadora. Não, é serio! Se mulher bonita em salão de cabeleireiro com a cabeça cheia de descolorante, touca térmica e bigudinho já é feia, imagina as feias? Fica lá aquele bando de mulher com cabelo descolorido no tom amarelo pintinho, tudo enfileirada á espera de um milagre.

Agora você me pergunta: Então porque você ainda vai lá?

Ahh sei lá! Vai ver eu também acredite em milagres :)

domingo, outubro 14, 2007

Hoje fazendo o almoço fiz uma constatação absurda, pra não dizer assustadora. Gastei um tablete de 200 grs de manteiga fazendo a comida.

Agora a pergunta que não quer calar: Será que toda essa gordura irá parar no meu culote, na minha celulite ou no meu coração?

Ohh céus, espero que seja no meu coração!

quinta-feira, outubro 11, 2007

É por essas e outras que não assisto novela.

Aqui, um resumo genial dos primeiros capítulos da novela das 8 feito pela Fal :)

domingo, outubro 07, 2007

Ontem eu fui comemorar o aniversário dos filhos do meu amigo numa churrascaria. Se tem coisa mais pobre do que comemorar aniversário em churrascaria, é fazer a festa de casamento lá.

O pobre do noivo estava perdidaço sem saber quem cumprimentar. A coitada da noiva toda respingada de sangue das carnes e os convidados, principalmente as mulheres usando salto alto, patinando na gordura da carne que estava caída no chão.

O bom dessas festas é que lá no futuro, quando eles forem mostrar o vídeo de casamento para os filhos, vão poder dizer: Olhe meu filho! Seu pai e sua mãe deram uma festança pra todo esse batalhão – não importando se 90% daquelas pessoas presentes eram completos estranhos. Mas se depender de mim e da minha turma, eles vão fazer bonito na presença dos filhos, porque nós acenávamos e sorriamos o tempo todo para o câmeramen.

Mas o triste mesmo foi na hora da gravata. A cambada bebeu, comeu e debandou tudo! E quando o noivo foi vender a gravata só tinha meia dúzia de gato pingado na mesa. Mas eu não os condeno, afinal de contas quem nunca fugiu, se escondeu ou foi embora na hora de cortar a gravata em um casamento? Aqui em casa nós somos peritos nisso.

Mas o auge da festa mesmo foi meu amigo pedindo a conta para o noivo. Mas fazer o quê, se a roupa do cara era parecida com a do garçom?

Bom, só espero que ele não lembre mais desse episódio quando estiver mostrando o vídeo para os filhos, senão nossos sorrisos e acenos com certeza terão sido em vão...


sábado, outubro 06, 2007

Meu marido, um homem esperto que dá gosto! Já aprendeu a lição :)

Acordei com uma baita de uma ressaca e ao lado da cama tinha um copo d'água e duas aspirinas. Olhei em volta e vi minha roupa passada e pendurada. O quarto estava em perfeita ordem. Havia um bilhete de minha mulher: Querido, deixei seu café pronto na cozinha. Fui ao supermercado. Beijos.

Desci e encontrei uma mesa cheia, café esperando por mim. Perguntei à minha filha:

- O que aconteceu ontem?

- Bem, pai, você chegou às 3 da madrugada, completamente bêbado, vomitou no tapete da sala, quebrou móveis, fez xixi na cristaleira antes de chegar no quarto.

- E por que está tudo arrumado, café preparado, roupa passada, aspirinas para a ressaca e um bilhete amoroso da sua mãe?

- Bem, é que mamãe o arrastou até a cama e, quando ela estava tirando a sua calça, você gritou: NÃO FAÇA ISSO MOÇA, EU SOU CASADO ! ! ! !


Ressaca - 70,00 reais

Móveis destruídos - 1.200 ,00 reais

Café da manhã - 10,00 reais

Dizer a frase certa no momento certo - Não tem preço


terça-feira, outubro 02, 2007

Na semana passada nós fomos num churrasco na casa de um amigo e lá encontramos um outro amigo que tem três filhos, e um desses filhos é uma menininha linda, de cabelinho dourado e olhos verdes chamada Giulia.

Num determinado momento eu estava sentada na sala com a Giulia, quando a dona da casa entregou a ela uma folha de papel e um lápis. É incrível como algumas crianças ficam calminhas na companhia de um papel e lápis.

Primeiro a Giulia começou a desenhar, depois ela disse - Vou escrever meu nome - e fiquei de queixo caído porque no auge dos seus 4 anos ela escreveu mesmo. G-I-U-L-I-A.

Mas até aí tudo bem, afinal achei que ela simplesmente tivesse decorado as letras do nome dela e escrito, mas daí ela vira pra mim e pergunta como que ela escrevia no nome de uma outra menina que estava na festa.

Eu dei uma risadinha interna pensando - até parece que ela vai conseguir escrever, mas vou falar assim mesmo - e fui soletrando o nome da outra menina, que era Ana Luisa, e a danada da Giulia, escrevendo tudo.

Quando eu terminei de soletrar, ela começou a repetir as últimas sílabas e ficava assim : ISA, ISA, ISA e quando menos eu espero vira pro meu lado e diz:

- Tá errado! Luisa escreve com Z e não com S. Eu tenho uma amiga que chama Luiza e é assim que escreve o nome dela.

Juro. Fiquei com a maior cara de tacho!

domingo, setembro 30, 2007

Eu não sou nem de longe uma daquelas puristas que não admitem o uso de termos estrangeiros inseridos no nosso dia-a-dia, mas confesso que de uns tempos para cá algumas situações tem me deixado cabreira.

Eu até gosto dos termos como feeling e insight e não acho definição melhor para usar no lugar deles e vamos combinar que pra quem mora em SP é muito mais chique viajar para Long Beach do que para Praia Grande, mas estou começando a achar que em alguns casos o negócio já está beirando o exagero.

Um dia, por exemplo, estava conversando com uma colega de trabalho quando ela me contou que a professora da faculdade tinha dado um case fantástico para eles na aula do dia anterior. Juro que estou até hoje sem entender que porcaria que ela quis dizer com isso.

Num outro dia, recebi uma ligação de uma empresa de eventos, oferecendo uns serviços para o meu diretor, mas primeiro ela precisava de um briefing do evento que ele gostaria de fazer. Agora me digam. Havia necessidade desse briefing, havia?

E ontem participei de uma conferência para secretárias (yes, I am a secretina :) e o cargo de uma das palestrantes nada mais era que: Project Officer em Global Resource.

Por Godi Seiqui! Uata réu is dati?

Saí de lá sem tem a menor idéia do que essa mulher fazia ...

segunda-feira, setembro 24, 2007

Hoje um dos diretores da empresa onde eu trabalho me mandou um email com um texto, e no começo ele dizia: Marcia, favor fazer a distribuição gráfica em papel A4 timbrado.

Eu passei quase 45 minutos, olhando pra tela do computador e pensando: Mas que diabo é essa tal de distribuição gráfica!!??

Claro que eu poderia ter mandado um email pra ele perguntando, mas não queria passar meu atestado de burrice assim, por escrito. E além do mais, eu ainda estou na fase de experiência né?

Comecei achar que aquele cara tava me sacaneando. Sabe aquelas brincadeirinhas tolas que os mais antigos fazem com os mais novos no emprego do tipo: Vai pegar o carbono xadrez pra mim - então, achei que ele tava me pregando uma peça.

Mas antes que eu pudesse sacanear ele de volta, dizendo assim: distribuo sim, mas primeiro você vai ver se eu estou lá na esquina o telefone tocou e era ele do outro lado.

- Marcia, já fez o que eu te pedi? - Com a voz mais séria do mundo.

- Ahh, o quê? Aquilo que o senhor pediu no email?

- É sim. Já fez ou não? Eu preciso com urgência.

Tive que inventar uma desculpa qualquer

- É que não tem papel A4 timbrado!

- Ahh então imprime no sem timbre mesmo.

Filho da mãe! Ele queria que eu imprimisse a porcaria do texto, então porque não falou logo?

O meu único consolo é que ele também não deve ter a menor idéia do que significa post, template e blog.

Bem feito pra ele!

sexta-feira, setembro 21, 2007






Hoje eu almocei sentada num balcão de padaria, rodeada de um bando de homem feio e pinguçu. O meu pedido foi um X salada, mas eu podia jurar que o gosto dele era dos últimos ingredientes que passaram pela chapa como misto quente, churrasco com queijo e mosca frita. O moço da chapa tem a unha do dedo mindinho bem comprida e fica coçando a orelha entre um lanche e outro. Mas a minha única reclamação é o guardanapo. Não sei porque ainda insistem em usar aquele papel de seda fininho que na verdade só presta pra enrolar cigarro de maconha. O copo onde tomei minha coca-cola, se duvidar tinha até as digitais do Pedro Alvares Cabral.


Mas sabe o que é pior disso tudo? É que eu gostei :)

domingo, setembro 16, 2007

Esse é o Pudim, o cachorro do meu amigo.

Todo sábado, eu vou até a casa dele pra fazer aula de inglês, mas acho o Pudim tão fofo, mas tão fofo! Que passo a aula inteira beijando ele.

O meu inglês continua péssimo, mas já estou especialista em beijar cachorro :)

quarta-feira, setembro 12, 2007


Depois de quarenta dias no meu novo emprego, eu posso dizer que já fiz meu primeiro desafeto lá. E a responsável por toda a minha raiva e meu rancor é ninguem menos que a senhorita descarada vendedora de pão de mel.

Hoje pela manhã, subi na balança e vi o ponteiro correr desesperadamente em direção ao número oi¨%4&# ( podem esquecer, porque jamais, em hipótese alguma, nem sob tortura, revelarei esse número aqui) e descobri que por culpa única e exclusivamente dela, engordei dois kilos!

Pensando bem, acho até que poderia processar uma empresa dessas que sujeita fragéis funcionários como eu a uma tortura verbal e visual o dia inteiro como essa. Essa individua, se aproveita dos momentos mais estressantes do meu dia pra dizer com aquela vozinha doce e bem fininha.

- Olha gente, hoje eu troxe pão de mel e trufa com recheio de beijinho, morango e maracujá tá bom?

Eu não tinha contado né? Pois é, a miserenta também vende trufa recheada! e continua:

- E quem não tiver dinheiro pode deixar que eu marco - e dá uma risadinha amaldiçoada no final - hihihihi!

Agora me digam. Uma fulana dessas merece ou não ser queimada em praça pública?

Se essa caricatura de mangá em forma de gente tá pensando que vai me transformar numa lutadora de sumô, com seus dotes meiguinhos ela tá muito enganada! Tô aqui traçando um plano maligno, mas tão maligno que ela vai se arrepender de ter se metido comigo!

Vou encontra-la amanhã ali na esquina bem cedo, e quando ela menos esperar, vou roubar todo seu estoque de trufas e pão de mel do dia!

Ahá! Amanhã você me paga, sua japonesinha safada.

segunda-feira, setembro 10, 2007






Pra quem não sabe, eu uso óculos. Quer dizer, eu deveria usar, mas não uso. Ele fica muito mais tempo na minha bolsa do que do meu rosto. Desde o início eu relutei um pouco em usa-lo porque eu sempre ouvi de outras pessoas que a gente vicia neles e no final não consegue enxergar mais nada se não estiver de óculos.

O meu maior medo quando fui renovar minha habilitação é que ela viesse carimbada "obrigatório o uso de lentes corretivas" mas o médico foi camarada comigo e deixou eu fazer o teste sem óculos e concluiu de livre e espontânea piscada ;) que eu não precisava deles o tempo todo, mas me fez uma recomendação: Use sempre durante a noite, principalmente se for dirigir. Claro que no auge da felicidade eu concordei, mas usar mesmo que é bom, nada!

Mas tenho reparado que de uns tempos pra cá, o negócio está cada dia mais crítico. Não vou nem contar das diversas vezes que cruzo com uns cabras no meu caminho, que vem todo sorrateiro rindo pro meu lado e eu respondo aos sorrisos acreditando que os conheça e só vou perceber meu engano quando estou bem pertinho...
Mas o pior mesmo, aconteceu na semana passada.

Eu estava voltando do trabalho, já aqui na rua de casa, quando vi o gato da minha vizinha parado no parapeito da janela do quarto. Só que o problema é que a casa dela é um sobrado, e embora tenha aquelas histórias de que gato tenha sete vidas, fiquei com pena do bichano. Ele não consegui entrar, porque o vidro da janela estava fechado e eu imaginei que o coitado estivesse lá esperando aparecer alguem para abrir o vidro para ele entrar.

Eu estava super cansada, mas resolvi parar e tocar a campainha da casa e avisar a mulher. Afinal, eu adoro bicho e se existisse uma versão feminina do São Francisco de Assis, essa versão com certeza seria eu.

Quando a mulher chegou perto do portão eu já fui avisando: Olha, só toquei aqui pra avisar que seu gato está ali na janela. Acho que ele está esperando alguem abrir a janela pra ele entrar.

A mulher olhou pra janela, depois olhou pra mim e disse: Ahh muita obrigada, mas aquele não é meu gato, é a minha almofada que eu coloquei ali pra tomar sol.

Eu não tava entendendo nada, mas forçando a vista e olhando novamente para o gato insisti: Claro que é seu gato siamês! Tô vendo até o rabo dele se mexer!

E ela continuou: Não é não. Meu gato siamês tá ali na sala. Aquela é minha almofada bege de franjinhas.

Depois dessa não tinha muito o que argumentar né? Pedi desculpas e sai de fininho...

Agora tô aqui convencida de que preciso mesmo usar meus óculos, pelo menos á noite como o médico falou. Ou torcer para o horário de verão chegar por aqui mais cedo.

É mesmo! Quando chega o horário de verão por aqui?

domingo, setembro 09, 2007

Renato Russo - A Peça


Hoje eu fui assistir uma peça de teatro baseada na vida do Renato Russo. A peça é uma mistura de monólogo e show já que o ator com o auxílio de uma banda canta a maioria dos sucessos do Legião Urbana e apesar da voz dele não ser tão grave quanto a do Renato Russo, ele as interpreta divinamente. Aliás achei o ator, chamado Bruce Gomlevsky, bem parecido com ele.

A montagem fala sobre os episódios mais importantes da vida do cantor, como por exemplo da doença que ele teve nos ossos na adolescência chamada epifisiólise, que o fez ficar numa cadeira de rodas por dois anos, passando pela formação do Legião Urbana; sua grande paixão homosexual por Scott até a sua morte em 1996.

E só porque podia fotografar e filmar a peça a vontade, eu esqueci de levar a câmera! Mas achei um videozinho no youtube que dá pelo menos pra ouvir o cara cantando. Pra quem quiser, está aqui

Foi muito legal. Se tiverem a oportunidade, assistam porque vale a pena :)

terça-feira, setembro 04, 2007

Meu amigo me contou que uma vez foi num leilão de cavalos de raça. Ele não entende nada de cavalos, mas como o lema dele é de graça, até ônibus errado, aceitou o convite.

Quando chegou lá, ele teve certeza que tinha feito um bom negócio, afinal o wisky era á vontade e segundo ele, do melhor.

Copo vai copo vem, começou o leilão. Lá no meio da noite ele viu um cavalo lindo em cima do palco e ouviu o leiloeiro anuncia-lo por duzentos e cinquenta reais. Ele achou aquele cavalo super barato e envolvido por toda aquela energia de quem dá mais? e claro, com o nivel de alcool acima do aceitável no sangue começou a agitar os braços na mesa e berrar: eu compro! eu compro!

Tarde demais. Quando viu já tinha comprado o cavalo. E o pior! Os outros caras da mesa disseram que era dez pagamentos de duzentos e cinquenta reais.

Ele ficou desesperado, porque o leiloeiro perguntava quem dá mais? quem dá mais? e nada de alguem cobrir o lance dele. Nessa altura, o efeito do alcool já havia literalmente evaporado do seu sangue, e já conformado que teria que ficar com o cavalo, começou a traçar um plano de como levaria o bicho pra casa.

No carro até que não teria problema, porque ele podia amarrar o cavalo no rack que ficava no teto do seu Fiat 147, mas ele não sabia como faria pra subir onze andares no elevador do prédio onde morava junto com o cavalo.

Mas no último minuto, um sujeito mais louco e provavelmente mais bêbado que ele respondeu aos apelos de quem dá mais e livrou a cara dele. Ufa!



domingo, setembro 02, 2007


Quando eu era criança pequena lá em Barbacena (mentira porque eu nunca morei em Barbacena) eu tinha como vizinho dois meninos gêmeos e esses meninos eram super parecidos, ou seja, eram os famosos gêmeos univitelinos.

Apesar dos meninos serem super parecidos, eu os reconhecia até no escuro, talvez pelo fato de passar muito tempo com eles. Acho que depois dos pais e da avó eu era a única que sabia diferencia-los e quase ninguem se conformava com aquilo. Trocavam a roupa deles, colocavam os dois de costas e mesmo assim eu matava a charada!

Ahh mas isso foi há muito tempo. Hoje não consigo diferenciar gêmeos nem que eles tenham nascido com três dias de diferença e tenho sofrido muito por isso.

Por exemplo. No salão que eu frequento tem duas mulheres que são gêmeas e segundo as pessoas que trabalham lá, elas são super diferentes. Não sei onde, porque pra mim elas são iguaizinhas e não tem uma vez se quer que eu não as confunda e as chame pelo nome trocado.


Mas o pior é que elas não gostam! E sempre me respondem com aquele ar de Será que você não tá vendo que eu não sou a Beth? Vendo onde o cara pálida!?

E como se não bastasse, agora tem os filhos do meu amigo, que também são gêmeos. Já faz mais de um ano que encontro os meninos e por mais que eu procure, não encontro nada! absolutamente nada, que os faça diferente. Mas claro que isso é só perante meus olhos, porque para os outros, eles são super diferentes.

Mas cansada e confesso, envergonhada de sempre chama-los pelos nomes trocados, da última vez que os vi desenvolvi uma tática. Logo que a gente se encontrou, fiquei quietinha prestando a atenção quando alguem os chamava pelo nome e a partir daí decorei a cor de suas roupas. Então cada vez que me dirigia a um deles, levava algumas frações de segundos pensando esse é o de verde, então é o Caio e consegui chama-los pelo nome certo durante toda a noite despertando a admiração e os suspiros de finalmente essa anta conseguiu distingui-los de toda a turma.

Bom, agora é só torcer para todas as vezes que eu encontra-los, eles estarem usando cores diferentes :)

domingo, agosto 26, 2007



Um dos grandes sonhos desse meu amigo é um dia poder dançar no Clube das Mulheres e assim ser agarrado, desejado e unhado por aquele bando de mulheres insandecidas.

Eu disse á ele que com esse número ele não vai descolar nem umas moedas no farol, mas eu sei que como toda boa virginiana eu sou muito crítica, portanto resolvi ouvir a opinião de vocês.

E aí, o moço tem ou não tem futuro?

sábado, agosto 25, 2007



Hoje eu queria falar sobre o olho de peixe que saiu no meu pé, mas a Danuza Leão disse que não pode.

Também queria contar que eu descobri que cuspo nos outros quando dou risada, mas a Joyce Emplastoviti disse que não pode!

Tava até pensando encher o meu blog com fotos de uns manguaceiros amanhã, mas o Ike Cruz Credo disse que não pode...

Ué, então só me resta dizer que hoje é meu aniversário :)))

quinta-feira, agosto 23, 2007

Qual a semelhança entre a Avenida Paulista e o casamento?


Ambos começam no Paraiso e terminam na Consolação

Ahh é engraçadinho, vai! ;-)

domingo, agosto 19, 2007

Ainda sobre a palestra.

Eu deveria ter escrito antes, mas o problema está sendo aquela coisinha preciosa chamada tempo. Ia até deixar pra lá, mas foram tantas as cretinices que eu ouvi que seria um sacrilégio da minha parte não dividi-las com vocês.

Ele também projetou vários vídeos no telão de coisas materiais que as pessoas desejam, mas que na verdade não são tão importantes assim. Ou em outras palavras, algumas coisas podem muitas vezes ser substituídas por outras. Até aí tudo bem, mas o fim da picada pra mim foi quando ele mostrou uma praia paradisíaca em algum lugar do mundo (não me lembro onde), com um casal sentado numas cadeiras dentro da água e fez o seguinte comentário:

- Olha só esses dois! Gastaram uma fortuna só pra irem até aí e ficarem sentados num mar de água transparente. Por que não foram aqui pro litoral norte de São Paulo? É a mesma coisa!!!!

Achei que vindo de alguém como ele um comentário desses foi no mínimo medíocre. Eu até entendo ouvir isso de uma pessoa humilde, como minha mãe, por exemplo, que diz - Mas minha filha, quique cê vai fazer no Japão! Aquela terra fica do outro lado do mundo! E lá é tudo muito pequeno! Vai pra Itu minha filha, que em Itu tudo é grannnde! Tem sorvetão, telefonão - Mas um sujeito desses deveria saber que as pessoas se preparam meses, e às vezes até anos para conhecerem os lugares mais inóspitos do mundo em nome de algo muito maior do que simplesmente por causa de um mar com águas transparentes.

Mas logo em seguida ele mesmo começou a contar uma história. Disse que no ano passado ele e a esposa passaram um mês na Espanha. Ele foi fazer um curso qualquer e ela aperfeiçoar o espanhol. Juro que nessa hora tive vontade de levantar a mão e dizer: Ué, mas se o objetivo dela era aperfeiçoar o espanhol, por que ela não foi para o Paraguai? É aqui pertinho, dava pra ir de ônibus e de quebra ainda trazia uns tênis Faroashi, umas camisetas da Calvin Klein e um bronzeador Rayto de Sol de muamba.

Eles também deram para gente uns cupons para preencher, porque no final da palestra iriam sortear umas tranqueiras como livros e dvd’s do cara. Claro que eu não queria ganhar nenhuma daquelas porcarias, mas mesmo assim preenchi. Afinal não quero ficar conhecida como aquela antipática esnobe comedora de pão de mel pelos meus novos colegas de trabalho. E na quinta-feira todos eles já estavam recebendo ligações e e-mails com convites para assistirem a próxima palestra, menos eu é claro. Porque esperta que sou, coloquei meu telefone errado e não coloquei meu e-mail. Alias nesse campo escrevi:

- E-mail? Nem sei o que é isso.

quarta-feira, agosto 15, 2007


Hoje eu fui numa palestra que foi um porre! Um porre não, porque se tivesse sido um porre, teria sido bom. A palestra foi um saco mesmo!

O tal sujeito é super famoso e já escreveu diversos livros de auto ajuda, a maioria deles ensinando como se obter sucesso em diversas áreas da vida, mas achei que para alguem que supostamente está acostumado a falar em público o cara é muito repetitivo, confuso e deu duas grandes bolas foras quando disse "que sejem" e "escritor bélgico".

E pra ajudar, o tema da palestra foi sobre o livro O Segredo. Que me perdoem os entusiastas desse livro, mas até agora o tal segredo, continua sendo um grande segredo pra mim! Mas tiveram alguns videos bem inspiradores também como o Mestre Yoda ensinando o Lucas Skywaker a levitar pedras.


A tal palestra durou quase três horas e meia, mas o ponto alto dela com certeza foram os 3 coffees breaks. Cafés, paçoquinha, água, bolinhos, paçoquinhas, balas, biscoitinhos e mais paçoquinhas á vontade. Sim, paçoquinha é o que não faltou lá e apesar de adorar paçoquinhas no final já nem aguentava mais ve-las na frente.


A noite só não foi pior porque num desses intervalos, o tal palestrante estava sentado numa mesinha de canto autografando os livros e eu sem perceber me dirigi até a mesa pra pegar um folheto. Quando ele me viu, já foi logo estendendo a mão para me cumprimentar e eu, educadinha que sou, segurei a mão dele. Só que nessa hora minha mão estava toda grudenta de paçoquinha, hahahaha.


Pelo menos senti vingada. Agora já posso até dormir sossegada :)

Ps1: Não, não paguei nada pela palestra. Mas mesmo sendo de graça, ainda foi caro!

Ps2: No final, ele ainda usou essa imagem dizendo que se os ensinamentos dele não servissem pra nada, que era para as pessoas recorrerem para o Pai Ambrósio. Ainda bem que anotei o telefone do Pai Ambrósio...


domingo, agosto 12, 2007

Eu contei essa bela histórinha para o meu marido assim que a gente se casou e desde então a nossa vida tem sido um verdadeiro mar de rosas juntos ...

RECEITA PARA UM CASAL NUNCA BRIGAR

Um casal foi entrevistado num programa de TV porque estava casado há 50 anos e nunca tinha discutido.

O repórter, curioso, pergunta ao homem:

- Mas vocês nunca discutiram mesmo?
- Não.
- Como é possível isso acontecer?

Bem, quando nos casamos, a minha esposa tinha uma gatinha de estimação que amava muito. Era a criatura que ela mais amava na vida.

No dia do nosso casamento, fomos para a lua-de-mel e minha esposa fez questão de levar a gatinha. Andamos, passeamos, nos divertimos e a gatinha sempre conosco. Um certo dia a gatinha mordeu minha esposa. A minha esposa olhou bem para a gatinha e disse:

- Um.

Algum tempo depois a danada da gatinha mordeu minha esposa novamente. A minha esposa olhou para a gatinha e disse:

- Dois.

Na terceira vez que a gatinha mordeu, minha esposa sacou uma espingarda e deu uns cinco tiros na bichinha.

Eu fiquei apavorado e perguntei:

- "Sua ignorante desalmada, porque é que tu fizestes uma coisa dessas, mulher?"

A minha esposa olhou para mim e disse:

- Um.

Depois disso, nunca mais discutimos.

quinta-feira, agosto 09, 2007

O emprego novo vai muito bem, obrigada. Afinal eu tive muita sorte de poder trabalhar numa empresa que oferece um tremendo diferencial aos funcionários e não estou me referindo a salário, plano de carreira e nem instalações de última geração, mas sim na possibilidade de ter como colega de trabalho, uma moça que vende um delicioso pão de mel caseiro por apenas um real.

Agora o problema mesmo está sendo com meu nome, Marcia. Por falta de uma, somos três, e se duas pessoas com o mesmo nome já causa confusão, três pessoas vão causar muito mais. Aliás, a confusão já começou.

Hoje a recepcionista pediu pra me avisar que minha mãe já havia deixado minha calça na recepção. Como o recado veio através de outra pessoa e eu não tinha pedido calça nenhuma pra minha mãe, e também porque estava ocupada ( provavelmente comendo pão de mel) nem dei muita atenção. Depois fiquei sabendo que a Marcia em questão, passou uma hora trancada no banheiro esperando pela tal calça.

Desde o primeiro dia todo mundo está tentando nos chamar pelo nome e sobrenome, mas quando digo que é kawabe, todo mundo já desiste alegando ser muito difícil. Mas até parece que vou deixar os outros me chamarem de Marcia Aparecida.

Bom, então acho que o jeito vai ser deixar a modéstia de lado e deixar que me chamem de Marcia a-mais-bonita mesmo :)

domingo, agosto 05, 2007

Eu tenho um amigo que tem uns tios que moram no Rio de Janeiro e ele sempre me contava de um vizinho do tio, que era super engraçado.

Todas as vezes que ele ia visitar esse tio, o tal vizinho passava no portão deles, e o tio sempre perguntava :

- E aí fulano, você já arrumou um emprego?

Ele diz que o cara jogava as mãos para o céu e respondia em alto e bom som:

- GRAÇAS A DEUS QUE NÃO!

Eu adorava ouvir ele contar essa história , porque independente do lugar que a gente estivesse, o meu amigo sempre imitava com perfeição o tal cara, jogando os braços pra cima.

Eu confesso que durante esse meu período de recesso, eu tive vontade de fazer o mesmo gesto todas ás vezes que ouvia essa pergunta, mas não o fiz e agora é que não vou fazer mesmo.

Eu juro que me escondi, mas não teve jeito. O emprego foi praticamente me buscar dentro de casa, e sendo assim não pude dizer não. Portanto amanhã começa tudo de novo.

Embora eu ache que as palavras emprego e legal não combinem na mesma frase, pelo menos dessa vez eu estou realmente acreditando que terei um emprego legal e que me trará boas oportunidades de crescimento.

Bom, assim eu espero :)

quarta-feira, agosto 01, 2007


No mês passado eu resolvi fazer um clareamento dentário. Embora meus dentinhos já sejam amareladinhos de nascença eu até que gostei do resultado. Mas vou te falar um negócio viu! Ô tratamento encardido esse!!!

Pra quem nunca fez, eu coloquei essa imagem pra ilustrar como é que a gente fica na cadeira do dentista por quase uma hora em cada sessão. Esse afastador que eles usam para abrir a nossa boca, com certeza foi usado como instrumento de tortura para fofoqueiras na idade média, porque a dor ( ou o incômodo, como você preferir) que dá na língua durante o procedimento é uma coisa de doido.

Sem contar que durante essa uma hora você tem vontade de fazer tudo que não pode, como por exemplo: coçar o olho, espirrar e fazer xixi. Eu acredito seriamente que deveria existir um modo de desativar alguns desses mecanismos no ser humano em situações como essa. Preciso colocar isso na pauta do dia na próxima vez que tiver uma conversa com o criador...

E a quantidade de saliva que uma posição dessas produz na gente? Não existe sugador no mundo que de jeito! Fiquei até preocupada já imaginado a manchete nos jornais: Moça bonita morre na cadeira do dentista engasgada com sua própria saliva.

Tá bom vai, eu sei que exagero um pouco. Mas na próxima encarnação, quando o Todo Poderoso estiver distribuindo um sorriso branquinho, com certeza vou entrar na fila três vezes :)

quinta-feira, julho 26, 2007



Ficar uns dias em casa de férias tem grandes vantagens eu admito, mas também tem um enorme inconveniente, pelo menos pra mim que detesto atender telefone. É que o meu não para de tocar...

Toca quando estou tomando banho; toca de manhã quando ainda estou deitada; toca quando estou no quintal e quando saio correndo pra atender, o felodamãe, que está do outro lado da linha, desiste!

Um dia reclamando isso com o Rogério ele me deu uma dica genial. Faz assim – ele me disse - quando você atender diga: Funerária vá em paz bom dia! Funerária vá em paz boa tarde! – Aí a pessoa vai achar que ligou errado e desiste.

Nossa! Achei essa idéia demais e confesso que já a coloquei em prática algumas vezes. Mas daí pintou outro problema, o portão. Não sei se é por que não ficava em casa, mas é incrível a quantidade de gente que bate no meu portão! Uma hora é o carteiro, outra hora é o pedinte, outra hora é o vendedor de qualquer coisa.

Claro que mais uma vez fui reclamar com meu sábio conselheiro. Enquanto me queixava das agruras do portão, usando meu atual uniforme padrão (ou seja, meu desengonçado pijama) ele me observava atentamente. No final ele perguntou:

- É vestida assim que você tem passado os dias em casa?

Sem entender muito aquela pergunta esquisita eu respondi que sim, que era daquele jeito mesmo. Daí ele me disse:

- Então é só usar a mesma técnica. Quando abrir a porta da sala diga: Funerária vá em paz, pois não? – Ahhh mas não esqueça de passar um pouco de talco no rosto.

Eu não estava entendendo nada e falei:

- Tá louco homem! Pra que talco no rosto?

- Assim você vai ficar parecendo uma perfeita assombração!

terça-feira, julho 24, 2007

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket


Semana passada eu cruzei por um acaso com uma moça que trabalhou comigo há algum tempo. Claro que eu demorei um bocado pra me lembrar disso e claro que até agora eu não me lembro o nome dela. Mas eu me lembrei de uma coisa esquisitíssima a seu respeito!

Corria na boca pequena que a tal moça era ninfomaníaca e o alvo preferido dela eram os coveiros do cemitério! Quem me contou esse causo diz que a tal moça até revirava os olhos quando se referia a eles.

Credo! Como pode eu ter demorado tanto tempo pra lembrar de onde eu a conhecia, mas de cara me lembrar de uma coisa dessas! Mas confesso que isso me deixou super preocupada.

Isso me fez pensar em como as pessoas se lembrarão de mim um dia, quando por um acaso elas se esquecerem do meu nome. Meus vizinhos provavelmente dirão: Aquela! Lembra daquela moça que morava ali e passava aqui na rua falando sozinha? Como era mesmo o nome dela? Marciana? Acho que era isso...

Meus amigos blogueiros com certeza dirão: Aquela maluca engraçadinha que só contava mentiras...

E o meu primeiro namorado com certeza vai se lembrar daquele dia fatídico em que eu estava usando uma mini-saia e...

Deus do Céu tomara que ele nunca mais se lembre daquele dia!

Bom, mas pelo menos ninguém vai me olhar e ficar imaginando cenas obscenas minhas traçando um coveiro.

E acredite, olhar pra alguém e ter a mente inundada por imagens assim é a mesma coisa que ter visão do inferno ...

O que a imagem tem a ver com o texto? Nada. É que eu achei ela bonitinha e além do mais preciso purificar a minha mente.

sexta-feira, julho 20, 2007








Ahh eu confesso! A preguiça tem sido o meu maior pecado ultimamente :)

Mas semana que vem volto com a programação normal.



Bom fim de semana pra todos vocês.

domingo, julho 15, 2007

clique na foto para ampliar


Ontem finalmente consegui encontrar minha arquiteta que depois de passar dias dando entrevistas para revistas chiquérrimas entregou a planta do meu novo projeto aqui de casa.

Eu ainda não defini meu futuro profissional, mas qualquer que seja ele, resolvi que preciso ter um escritório e ter a liberdade que só as pessoas que trabalham em casa conseguem. Ou seja, ficar de pijamas, descabelada e sem escovar os dentes a maior parte do tempo possível.

O projeto ficou bárbaro e não vejo a hora de sair pra comprar todo material necessário pra começar a obra

Clique na foto para ampliar

Lista de Material :

5 metros de madeirit rosa (já sei que essa aqui vai morrer de inveja!)

2 metros de caquinhos coloridos .( piso )

1 pacote de cal e brocha ( não, essa não é a condição do pintor. é o nome do pincel) para pintura das paredes.

Então já deu pra perceber né? Meus próximos dias estarão lotados !!!


quinta-feira, julho 12, 2007

Hoje, na companhia agradável de um friozinho de 12º eu atravessei a cidade pra ver o 15º festival do Anima Mundi que está em cartaz no Memorial da América Latina.

Por causa do horário não consegui assistir nenhum filme que esteja concorrendo ao prêmio esse ano, mas assisti a alguns curta metragem de um animador russo chamado Mikhail Aldashin que são super legais, dentre eles o ganhador do prêmio como melhor curta em 2003 chamado BOOKASHKIS, que conta a história de vários insetos que vivem numa cozinha e depois de conhecerem outros insetos "alienígenas" resolvem construir uma nave espacial ( num tubo vazio de pasta de dente) para mudarem para o planeta desses insetos. Parece maluco, mas o desenho é bem legal e eu ri muito com ele :)

O festival vai até domingo e a programação completa está no site do Anima Mundi

domingo, julho 08, 2007

Na semana passada comprei uma camiseta com esse desenho do Homer bebedor de cerveja para o meu marido. Claro que apesar de saber que ele gosta muito de cerveja, achei que essa frase "Cerveja ou morte" era um pouco exagerada. Quer dizer, achava ...

Durante a semana, executando trabalhos domésticos, ele machucou o queixo, um pouco abaixo dos lábios com uma chave de fenda philips e ficou com um corte em formato de estrela jorrando sangue pra todo lado. Preocupado, ele resolveu ir até a farmácia pra tomar uma antitetânica mas como o farmaceutico disse que essa injeção só tinha no pronto socorro, ele saiu da farmácia e entrou na padaria pra comprar cerveja.

Mais tarde em casa, ele já estava pronto pra ir até o hospital tomar pontos no corte, mas só sossegou quando eu certifiquei a ele, que a cerveja não estava sendo desperdiçada pelo buraco do queixo.

Por isso agora eu sei que não tem nada de exagerado nela ...

quinta-feira, julho 05, 2007

Pois bem!

Depois de 14 anos eu mandei meu emprego para os quintos dos infernos e vocês não imaginam a felicidade que eu senti por ter feito isso...

Cumpri meu aviso prévio até a última sexta-feira e não via a hora de chegar segunda para começar a saborear as minhas tão esperadas férias. Fiz um milhão de planos: Ouvir todas as minhas músicas prediletas; rever todos meus filmes favoritos; ler todos os livros do mundo; fazer caminhadas matinais; ficar zanzando pela internet e acreditem, até cozinhar feijão para o meu marido pela primeira vez no ano!

Mas até agora não consegui fazer nada disso! Todo dia tenho que sair pra resolver alguma coisa e quando vejo, pimba! meu dia já foi embora ...

Puxa vida, não foi nada disso que eu sonhei para as minhas férinhas :*(

domingo, julho 01, 2007


Esse é o Tripé, o cachorro que mora aqui na rua. Claro que o nome dele não é Tripé né, mas como vocês podem ver, ele só tem três patinhas ( se clicar na foto da pra ver melhor) então esse foi o nome que nós demos pra ele aqui em casa. E ele passa o dia inteiro correndo pra baixo e pra cima como se isso fosse a coisa mais normal do mundo.

Antes eu morria de pena porque imaginava que quando ele encontrava com outro cachorro ele devia ficar pensando : Credo que sujeito mais esquisito esse com 4 patas!

Mas um dia desses descobri que ele não levanta a perninha pra fazer xixi no poste, aí cheguei a conclusão que talvez por isso, ele seja um cachorrinho bem feliz :)

sexta-feira, junho 29, 2007

Gamei!

Essa é uma das músicas do novo cd do Ira que ouvi ontem e já gamei :)

Bom fim de semana pra todos.







Mariana foi pro mar

Deixou seus bens mais valiosos com o cachorro e foi viajar
Foi de coração
Pois o marido saiu pra comprar cigarros e desapareceu
Foi visto no Japão
Com a vizinha, sua ex melhor amiga
Mariana foi ao chão

E ela pensou por muitas vezes
Se usava sua Mauser ou o gás de seu fogão
Mas seu último direito ela viu que era um erro
Mariana foi pro mar

Mariana se cansou
Olhou o que restava da sua vida
Sem direito a pensão
Sem um puto pra gastar
Sempre foi moça mimada
Mas tinha em si a vocação do lar

E foi numa tarde de domingo
Que ganhou tudo no bingo
Sorte no jogo azar no amor
E sua bagagem estava pronta
Parecia que sabia do seu prêmio de consolação

Mudou o itinerário
Trocou o funerário
Pelo atraso do avião

Uma lágrima de sal
Percorre no seu rosto misturando-se ao creme facial
Onde foi que ela errou?
Se acreditava na sinceridade de sua vida conjugal

E se ela pensava muitas vezes
se usava uma pistola ou o gás do seu fogão
Mas ela mudou o itinerário
Trocou o obituário pelo atraso do avião

Hoje ela desfila pela areia
Com total desprezo pelos machos de plantão
Ela está bem diferente
Ama ser independente
Mariana foi pro mar

terça-feira, junho 26, 2007





Há algumas semanas atrás nós fomos almoçar com um colega de trabalho do Rogério e a namorada dele. Nós chegamos no local e uns quarenta minutos depois eles chegaram. Assim que eles sentaram, o rapaz começou a se desculpar pelo atraso. Ele alegou que a namorada, antes de ir encontrar com a gente quis passar numa ponta de estoque pra comprar sapatos.

Eu arregalhei os olhos quando ouvi aquilo. Aquele sujeito tinha acompanhado a namorada numa ponta-de-estoque de sapatos, num sábado a tarde e estava visivelmente bem humorado depois de passar quase uma hora dentro de uma loja lotada de mulher histérica, esperando a moça escolher, experimentar e pagar pelos sapatos!

Pra quem tem um marido que entra no supermercado, enche o carrinho de cerveja e diz: "Vamo embora que o alimento de primeira necessidade já esta aqui", aquele moço me pareceu pacencioso demais.

A conversa na mesa começou a girar em torno de sapatos. O Rogério começou a contar a eles, da época absurda em que eu tinha nada mais nada menos que vinte e cinco pares de sapato! Eu já estava pronta pra me enfiar embaixo da mesa quando a moça disse que esse era um número normal e pamen, o rapaz concordou com ela!

Não, eu não podia acreditar naquilo que eu estava ouvindo. Aquele era o tal cara perfeito que toda mulher sonha, e sim ele existe e estava sentado ali na minha frente. Meu Deus do céu! Onde esse homem estava, que não tinha aparecido antes na minha vida. Juro que já estava começando a me apaixonar por ele quando me deu um clic, e resolvi perguntar:

- Escuta aqui. Quanto tempo mesmo vocês tem de namoro?

E numa resposta efusiva e cheia de amor os dois responderam:

- Dois meses.

Ahh tava explicado. Daqui a quinze anos a gente volta a conversar ...

domingo, junho 24, 2007

Ok. Será que alguem pode fazer um favor de deixar algo aí na caixa de comentários pra eu publicar aqui :)

quarta-feira, junho 20, 2007

90 anos



No último dia 12/06 a minha avó (mãe do meu sogro) completou 90 anos e eu publiquei essa foto da festa de aniversário dela no flickr. Meu amigo Darlan, depois de ver a foto fez um post tão delicioso quanto a saudade que a gente sente da nossa infância quando a gente se lembra dela na companhia das nossas avós :)

Darlan, agora é a minha vez de dizer: Se eu tive um momento grande no dia de hoje, com certeza o momento foi esse.

Obrigada amigo :)

domingo, junho 17, 2007


Essa semana aconteceu uma coisa muito, mas muito esquisita aqui em casa. Quer dizer, na verdade foi no nosso carro. Eu achei um brinco perdido lá dentro e oras, se o brinco não é meu e se meu marido não usa brinco, de quem será ele!!!

Quando eu o indaguei sobre o brinco eu percebi que ele ficou preocupado, mas disse não ter a menor idéia de como ele foi parar lá dentro. Ele acha que estava com a janela aberta e o brinco veio voando com o vento. É faz sentido mesmo, afinal ventou muito por aqui esses dias...

Mas ele continua preocupado. Também, um homem tão generoso e de coração bom como ele deve estar triste por saber que alguma mulher nesse mundo á essa altura deve estar muito infeliz por ter perdido seu brinco.

Pensando bem, coitada dessa mulher viu...

quinta-feira, junho 14, 2007

Eu tenho um amigo que é muito, mas muito pão duro. Um pão duro convicto. E ele ainda defende uma tese de que as mulheres gostam de homens pão duro, porque homens assim são fiéis, já que eles não gostam de gastar dinheiro com uma mulher, quem dirá com duas.

Pra se ter uma idéia do quanto ele é pão duro, na casa dele só se come pizza comprada com aqueles cupons de desconto que vem na caixa. Mas detalhe. Ele passa a semana inteira procurando pelas caixas de pizzas no tambor de coleta seletiva do prédio.

Sair com ele é passar vergonha na certa. Um dia a moça do caixa deu o troco em balas e ele falou pra ela: Te paguei com balas, por um acaso? Aquela frasesinha banal que todos pobres mortais soltam vez ou outra - pode ficar com o troco - simplesmente não existe no vocabulário dele.

Quando ele está no metrô ou no ônibus e entra alguém pedindo esmola, não da outra! Ele finge que ta dormindo. E quando eu digo que ele é pão duro, ele me acusa de ser perdulária e já teve até a audácia de dizer uma vez que se não fosse meus cartões de crédito, eu seria a mulher perfeita!

Ta certo que ás vezes ele até dá boas dicas de economia, como da última vez quando disse que mesmo no inverno, ele só usa o chuveiro na posição “verão”. Eu achei a idéia legal, afinal de contas, água quente não faz muito bem pra pele né?

Mas que antes ele dá uma cheirada no sovaco pra se certificar de que não vai dar mesmo pra ficar sem banho por mais um dia.

Ahh vai tomar banho né ô Tio Patinhas...
Eu sei que essa budega que eu chamo de blog tem tido problemas para ser aberto com o Internet Explorer. O mais curioso é que eu consegui abri-lo em duas máquinas diferentes usando esse navegador, mas aqui em casa e no escritório não abre nem com reza brava.

Já me deram uma luz, de que provavelmente seja esses penduricalhos que eu tenho aí do lado esquerdo, mas ainda não tive tempo para testar e saber quem é o verdadeiro culpado. E pra ajudar eu detesto mexer na barriga do blog e acabei de ter um pesadelo horrível onde um monte de html's corriam fazendo um barulho horrível atrás de mim.

Acordei assustada mas pelo menos descobri que o barulho vinha do meu estômago que estava roncando de fome, então estou aqui fazendo um lanchinho :)

Tenham um pouco mais de paciência que logo eu volto com a programação normal.


upidaiti : A Dri já tinha tirado o flick pra mim, mas mesmo assim não estava funcionando. Daí o Jôka que estava sofrendo do mesmo mal me deu a dica, de tirar todas as imagens hospedadas no photobucket e voilà, funcionou. Infelizmente perdi aquele gif do mocinho praticando a postura do sol que eu adorava, mas paciência, pelo menos parece que tudo voltou ao normal por aqui :)

sexta-feira, junho 08, 2007




Eu já falei aqui do meu amigo que é viciado em toques de celular. O último toque que ele arrumou eu achei demais ( fiz um iutubi bem tosco dele). Mas graças a minha santa ignorância eu achei que essa música só fosse tocar quando eu recebesse uma ligação a cobrar, então já estava disposta a distribuir o número do meu celular pra Deus e todo mundo, pra que todos me ligassem a cobrar, assim eu poderia rir nas custas de um pobre ligando pra mim.

Mas não funciona assim. Ou seja, a música toca todas as vezes, e não somente nas ligações a cobrar. Ainda bem que eu descobri isso antes de fazer o estrago na conta do meu celular :)

segunda-feira, junho 04, 2007

Quando eu vou pra aula de inglês no sábado eu deixo o carro na rua, mas sempre tem lá um daqueles “flanelinhas” que usam um colete cor de laranja, tomando conta dos carros.

Esse sujeito é super engraçado e muito esperto. Alguém da escola ensinou pra ele algumas palavras em inglês e ele fica lá no meio da rua (que é um cruzamento) balançando os braços pra todos os lados e falando feito um CD riscado para os motoristas que passam nos carros:
come on! stop! danger! go, go. Tô vendo só que isso um dia ainda vai dar caca...

Mas ele é tão esperto que sempre que estou chegando perto do carro ele já vem com aquela conversa de Migué pra ganhar uma gorjeta. Eu sempre dou né? Mas nunca antes de dizer:
Mas de novo colega?

A história dele é sempre a mesma. Ele sempre diz que esta sem dinheiro por causa da Catia. Que é a Catia que acaba com o dinheiro dele, que ele não consegue viver longe da Catia e bla bla bla.

Eu sempre achei essa Catia uma tremenda aproveitadora do cara, mas claro que nunca falei nada pra ele.

Mas no último sábado, logo que eu cheguei a escola ele já foi direito ao assunto :

- Aí colega, dá pra me emprestar deiz mangos até semana que vem? É que faz dias que eu não vejo a Catia e é hoje que vou atrás dela.

Eu dei o dinheiro, mas não agüentei e soltei os cachorros na Catia. E desembuchei:

- Pô colega, larga essa mulher que ela é uma tremenda de uma aproveitadora. Você nunca tem dinheiro e tenho certeza que é por causa dela. Larga mão de se bobo, homem!

Foi quando ele fez a maior cara de esquisito e perguntou:

- Mulher? Que mulher colega???

-Essa uma aí que você arrumou, essa tal de Catia!

Ahh não é mulher não, mas é a minha companheira inseparável. A catiaça.