domingo, agosto 20, 2006

A irmã da minha amiga estava doida da vida. Ela contou que na empresa onde ela trabalha, toda vez que falece um parente de algum funcionário, é ela que tem que ir para representar a empresa. Ela diz que não gosta de fazer isso, afinal é um momento sempre muito triste para a família e não tem muito o que se dizer nessas horas né?

Mas um colega que trabalha num outro andar, e ela na verdade nem tem muita intimidade, saiu de férias e sofreu um acidente na estrada. Ele, felizmente sobreviveu mas a esposa não ...

Bom, ligaram no ramal dela, deram o endereço e o horário do enterro e ela saiu correndo pra comprar as flores. Ela saiu atrasada do escritório, pegou um trânsito danado e quando chegou o enterro já estava quase terminando.

Um dos motivos pelo qual ela nunca gosta de ir nessas ocasiões é que ela se emociona fácil e sempre chora. Ela tava lá, segurando as flores na mão, com as lágrimas rolando no rosto, quando comentou com um senhor ao lado dela.

- Ahh coitada ...

O homem olhou pra ela e disse:

- Coitada não. Coitado!

Ela levou um susto. Será que ela tinha entendido errado e na verdade quem tinha morrido no acidente era o rapaz e não a esposa dele. E meio sem pensar disse para o senhor:

- Mas me disseram que era a esposa do Marcus que tinha morrido e não ele!

O homem continuou:

- Mas quem está sendo enterrado aqui é o Seu Albuquerque e ele já está viúvo há muitos anos!

Nesse momento ela percebeu que estava no enterro errado. Resolveu deixar as flores no túmulo do Seu Albuquerque mesmo, e voltou para o escritório ainda chorando. Mas agora ela chorava de raiva, e jurou pra si mesma que não iria mais nesses enterros da empresa. Mesmo porque, muito provavelmente ela estaria presa por ter trucidado o infeliz que a tinha feito chorar no enterro errado.

2 comentários:

valter ferraz disse...

Márcia K, vc está ficando ótima como cronista, será a convivência com a Luiça?
Carpideira por obrigação é um problema sério e ainda correndo o risco de perder o emprego então, ninguém merece.
Abraço

Élyka Dalossi disse...

hahahaha!! adorei!!
vim parar no teu blog por força do destino (ou de um link)... gostei mto dos teus posts! vou sempre dar uma passada por aqui.
comentando o negócio do enterro:
esse negócio de errar de funeral não é tão incomum, né? Acho que acontece com todo mundo, pelo menos uma vez na vida... ou na morte. hehehe
parabéns pelo blog!